Testemunhos de clientes Caniroa

No final do Treino de cães Caniroa da minha Cadela Labrador Retriever “Cusca” (Chocolate) não podia recusar o privilégio de deixar o nosso testemunho do que foi a experiência de treino que nos proporcionou às duas.

Quando começámos o treino eu tentava já há algum tempo “comprar” o bom comportamento da minha Cadela Labrador Retriever “Cusca” com biscoitos e todo o tipo de guloseimas, mas os resultados eram lamentáveis. Sempre que via outro cão ou sempre que estava de barriga cheia, bem que eu podia chamar, gritar, ralhar, o resultado era sempre o mesmo: a Cusca fazia o que queria e não ligava nenhuma ao que eu dizia.

Ainda me lembro do primeiro dia de treino como se fosse ontem. A minha menina malcriada e teimosa na mão do João parecia uma senhora! Afinal era possível! E sem biscoitos, sem gritos, sem violência! O difícil seria fazer com que ela tivesse o mesmo comportamento comigo… Mas lá chegaremos!

Ao longo dos últimos meses foi fantástico ver os progressos e a felicidade com que a minha Cadela Retriever Labrador “Cusca” chegava aos treinos! Entre treinos no Cartaxo, na Quinta da Lagoa, no mato e no Parque das Nações o comportamento da Cusca comigo foi mudando e gradualmente passou a obedecer, a correr para mim quando eu chamava, mesmo quando isso implicava deixar a brincadeira com outros cães (que ela simplesmente adora!!), a ficar sentada quieta quando eu mando, a esperar sossegada no carro à espera que a mande sair, a encontrar-me no meio do mato quando eu estou escondida a uns bons metros de distância, a andar sossegada na rua mesmo na companhia de outros cães, e muitas outras coisas que me deixam cheia de orgulho!!

Agora que o treino terminou, confesso que já tenho saudades de ver a minha menina a trabalhar com o João! Vou continuar a tentar praticar em casa e a aproveitar os treinos de sábado no Parque das Nações!

Nada disto teria sido possível sem o João, a quem deixo o meu muito obrigada, pelo seu empenho e dedicação, a minha amizade e os votos sinceros de que continue por muito tempo ainda a fazer um trabalho fantástico!

Cadela Labrador Retriver, Hotel para cães

Esta não é a história do cão que vem à chamada, senta e deita, da pelagem que melhorou com a segurança do treino ou bonita estrutura que ganhou com mais exercício e alimentação guiada pelo Sr. João. Tudo isto é verdade, faz parte da transformação da Sissi e tem um valor incalculável, mas é sobretudo uma história de um cão com família mas sem “dona” e se hoje sou “dona” da Sissi, devo-o ao Sr. João.
A Sissi começou por ter treino básico noutra escola com 5-7 meses, que vi funcionar com muitos dos donos que lá estavam, mas que não funcionou comigo. A cada semana que passava, a minha ansiedade aumentava por sentir que falhava eu e a cadela, sentia que todos os cães eram fáceis e a Sissi um terror. Ao fim de algumas semanas, com progresso limitado, mas sem consequências de maior, acabei com os treinos, com a ansiedade e fechei os olhos ao problema. Passado 1 ano, o problema estava com 25 kg e mais forte do que eu. A Sissi rapidamente desligava e a cada mês ficava mais dominante e reactiva. Estávamos as duas numa espiral da qual não conseguíamos sair, quanto mais eu me chateava, menos a Sissi respeitava.
Num dia em Setembro de 2017, telefonei ao Sr. João depois de ver a página da Caniroa, expliquei a situação e de imediato me disse “Traga a cadela à Quinta”. Recebi as indicações e à hora marcada, lá estávamos. Pegou na Sissi pela trela e… Espanto… A Sissi não puxava. Acho que este espanto é comum a todas as pessoas que têm e tiveram o privilégio de conhecer o Sr. João e de o ver trabalhar. Em menos de 5 minutos ficava claro que o problema não era a cadela e portanto o desafio era ainda maior. Vi o Sr. João receber cães com alguma agressividade nos treinos e ver a sua recuperação é motivante. É francamente mais rápido recuperar um cão do que “fazer” um dono.
Cadela Dobermann “Sissi” testemunho da sua dona
A Sissi começou em regime de internato, ficava na quinta com o Sr. João, nos fins de semana tínhamos treino e depois passava o fim-de-semana em casa. Na mão do Sr. João mostrou ser extremamente obediente desde o início, hoje quando o Sr. João exemplifica alguns exercícios no Parque das Nações, chegam a juntar-se pessoas para assistir. Mas para quem lê, não imagine que seja tão fácil como entregar o cão ao Sr. João e receber um cão treinado. O orgulho que tinha (e tenho) de ver a Sissi conduzida pelo Sr. João era proporcional à frustração de ter um cão completamente diferente na minha mão. A Sissi sabia o que lhe pedia, mas tive que aprender a pedir-lhe com a incansável ajuda do Sr. João, boa disposição e sensibilidade para saber quando cão ou dono precisam de intervenção. A incerteza do “faz às vezes”, a teimosia do “fiz igual e agora não funcionou” não são mais do que a face visível do que faço errado ou diferente, quase sempre sem saber, mas que cão sente e o Sr. João vê.
O Sr. João ensinou-me muitas coisas, corrigiu muitas mais, mas guardo alguns “lemas”: a Sissi é muito mais rápida do que eu, eu não controlo por ser mais bruta ou gritar mais alto (a cadela não é surda e, já agora, tem nome), quanto mais calma estiver, mais calmo o cão está, quanto mais gentil eu for, melhor responde. Os comandos são fáceis de aprender, o estado de alma, tom e momento demoram uma vida e treina-se sempre.
Quem tem cães sabe que sorriem… E como sorriem na quinta do Sr. João ou nos treinos no Parque das Nações! Dá gosto ver os cães saírem dos carros… Acho que aqui não há treino que me valha, tamanha é a paixão… Lá vai, com um puxão, ter com o Sr. João.
Todos os dias quando pego na trela agradeço o dia em que fui ter com o Sr João à quinta no Cartaxo. O Senhor João tornou-se muito mais do que o treinador da Sissi. Salvou-nos de termos problemas e ensinou-me a apreciar a minha fantástica Cadela Dobermann Sissi.
Obrigada Sr. João.

Dobermann, Treino de Cães Caniroa (1)

Em Dezembro 2019, adquiri a minha cadela-cão de agua português “brownie” que rapidamente se mostrou irrequieta, energética, imparável e difícil de controlar. Soube da existência da  Caniroa Hotel para Cães e Treino de cães, e prontamente quis conhecer o Sr. João.

O Sr. João , é um profissional apaixonado pelo que faz, e assim que o conheci soube que precisava da ajuda dele.

A Brownie integrou o Treino com a modalidade de internato ,regressando a casa ao fim de semana. Ao longo dos treinos apercebi-me que também eu era aluna e pior que a minha própria cadela. Cresci muito com o Sr.João e a ele tudo devo pela cadela que tenho hoje. Além do treino de obediência a minha cadela-cão de agua português “Brownie” fazia treino em piscina por ser apaixonada pela água, e nada me fazia mais feliz do que ver aminha cadela feliz. O Sr. João representa tudo isso, profissionalismo, entrega, dedicação mas também alegria e amizade.

Cão de Agua Português “Brownie” Testemunho da sua Dona

Aos Sábados os treinos na Expo são um miminho que o Sr. João nos proporciona e que nos fazem também conhecer a história de outros cães ,proporcionando um encontro muito agradável entre todos. Ficarei eternamente grata ao Sr. João por tudo o que ensinou a minha Brownie, e a mim também!

Obrigada Sr. João pela amizade!
Beijinho Mariana

Cachorra Cão de Água Português no Treino de Cães Caniroa

Temos um Cão Boxer tigrado “Viper” com 2 anos que veio para casa com 5 meses. Quando pela primeira vez, tivémos que sair de casa e não podíamos levar o Viper connosco, assaltou-nos uma preocupação: onde o deixar? Fomos perguntando a amigos, consultámos sites na internet, mas não sabíamos por onde escolher. Consultámos o site Caniroa Hotel para Cães e Treino de Cães e pelos testemunhos das pessoas, decidimo-nos a deixá-lo lá. Mal sabíamos, que essa escolha iria mudar decisivamente o relacionamento o nosso Cão Boxer Tigrado “Viper” e conhecer um profissional profundo conhecedor do “mundo canino” que iria transformar um animal com pouca auto-confiança e em corrida apresentava um defeito de atitude, num animal alegre, disciplinado e confiante.

Deixámo-lo cerca de 4 dias com o João Névoa, apenas como hotel. Para nossa surpresa, quando o fomos buscar, pouca “festa” nos fez ao ver-nos. Ficámos desiludidos, mas deu para perceber que ele tinha gostado do hotel e vinha bem tratado. Quando o levámos para casa, percebemos que ele parecia perceber o que lhe dizíamos, vinha obediente e bem tratado. Ficámos curiosos e bem impressionados com o sitio onde o tínhamos deixado. Quando tivemos novamente de nos ausentar, já nem procurámos outro sitio, voltámos a procurar o Caniroa Quando fomos deixar o nosso Cão Boxer Tigrado “Viper” pela 2ªvez, ao ver o João Névoa, o cão parecia um “vendido”. Ficou com o João sem qualquer problema e alegre por voltar, o que nos deu a sensação de ter gostado por regressar. A partir daí, Caniroa Hotel para Cães e Treino de Cães passou a ser o hotel do Viper. Uma das vezes que o fomos buscar, o João alertou-nos que o Viper quando efectuava uma corrida longa, uma das patas traseiras parecia não estar coordenada com as outras e ao pé dos outros cães, parecia não ter estofo para correr mais do que 500 metros. Ficámos preocupados, pois um cão comprado a um criador com nome e resultados não deveria apresentar aqueles defeitos.

Foi aí que o João nos propôs um treino de obediência e debelar aqueles defeitos. Aceitámos e podemos dizer que em boa hora o fizemos. Com todo o cuidado, pois pensámos que naquela pata poderia haver outro problema mais grave, o João levou-o a um veterinário assim como nós, para saber se poderia ser sujeito a um treino.

O João aceitou treiná-lo com precaução vendo até o Viper poderia dar. Ao fim de 3 meses (mais 1 que o normal), o Viper dá 3 voltas á quinta onde está Caniroa corre com as patas bem posicionadas, é obediente com toda a família e a sua auto-confiança aumentou exponencialmente. Hoje temos um Boxer alegre, sempre pronto para o trabalho e para a brincadeira. Queremos igualmente testemunhar, que o João além de educar o cão, muitos concelhos sobre o tratamento diário do cão, alimentação e atitude nos deu, ou seja, “educou-nos” também. Não falamos a língua do Viper, mas seguramente temos de traduzir algo que o Viper diz:
OBRIGADO AMIGO JOÃO

A excelência de condução de um boxer no treino de cães Caniroa

“Olá a todos!!! Chamo-me Tsôtsi e vivo com os meus donos há quase 3 anos!!! Sempre fui um cão um bocado avariado, barulhento e choramingas, mas sempre gostei de mandar lá em casa!!! Nunca gostei de ver os meus donos saírem para dar uma volta ficando sozinho em casa – Será que eles voltam? – era o meu primeiro pensamento. Dentro da minha rebeldia, mas sem nunca destruir o que quer que fosse (dentro de casa), não deixava a vizinhança dormir até os meus donos chegarem. E quando ia passear com eles… Ui… Eu é que os passeava!!!! Sempre gostei de fazer o que quis, como quis e quando quis!!! Até que à cerca de 6 meses conheci um senhor que até pensei que fosse da minha família, pois é assim Ruivinho como eu. Fiquei lá um fim de semana em que não me calei, tentei saltar e fugir do canil – fui realmente um idiota!!! Pelo que me chegou aos ouvidos o Sr. Ruivinho falou com os meus donos e aconselhou-os a treinarem-me para ver se eu ficava mais obediente e tranquilo. E assim foi!! A principio não gostei nada dele porque queria mandar mais do que eu… Até que percebi que ele era mais esperto e que me estava a ensinar a ser um cão melhor.
Hoje em dia, embora ainda goste de fazer algumas coisas à minha maneira e me faça alguma confusão ver os meus donos saír de casa, sou um cão muito mais tranquilo e obediente. Passeio muito mais e sou passeado!!! Acima de tudo sou muito mais feliz pois os meus donos estão muito mais felizes!!!!! Obrigado Sr. Ruivinho P.S.: Os meus donos estão aqui a aborrecer-me para deixar um recado!!!! “João, Obrigado por nos fazer ver o bom que há nos cães e por nos proporcionar excelentes momentos. Poder observar a felicidade dos cães junto de ti faz-nos perceber que és de facto um “Encantador de Cães”. Como sabes passámos por momentos muito difíceis, diria até desesperantes ao “herdarmos” um cão com 6 meses completamente desequilibrado e só com a tua contribuição e excelência conseguimos finalmente ter uma qualidade de vida familiar (com o cão) que até agora não tínhamos e que tanto almejávamos!!! Muito Muito Obrigado.”

Testemunho dos donos do Tsotsie
Exit mobile version